sexta-feira, outubro 27, 2006

De onde veio o dinheiro?

A Polícia Rodoviária Federal apreendeu ontem à noite, na Paraíba, uma mala com dinheiro que seria distribuído pelo diretor do Departamento Administrativo e Financeiro da Secretaria do Controle da Despesa Pública do governo estadual, Gláucio Arnaud de Medeiros, a prefeitos, vereadores e líderes políticos do interior da Paraíba, aliados do governador Cássio Cunha Lima (PSDB), que é candidato à reeleição.

Na mala, a PRF encontrou cerca de R$100 mil em espécie. O dinheiro foi apreendido na cidade de Bayeux, na Grande João Pessoa, num Celta dirigido por Raimundo da Silva, que se identificou como funcionário da secretaria. Na mala, segundo a PRF, havia dez envelopes com dinheiro. Cada envelope era destinado a um líder político. Dentro dos envelopes havia dois pacotes de dinheiro. Um era destinado ao prefeito. O outro era destinado aos vereadores, cujos nomes estavam escritos em uma folha de caderno.

Dentro de cada envelope também havia um CD com a inscrição "Cássio 45", que se caracteriza como propaganda do governador, segundo o patrulheiro Agnaldo Lopes, que comandou a apreensão. O policial abriu apenas o envelope endereçado a Adalcindo José de Freitas, ex-prefeito de São Sebastião do Umbuzeiro. Dentro do envelope de Adalcindo, estavam 120 cédulas de R$50 (R$6 mil no total). Do total, R$4 mil seriam destinados a Adalcindo. Outros R$2 mil seriam entregues a seis vereadores e líderes.

Os outros envelopes estavam endereçados a Lucivaldo Vaz Henrique (ex-prefeito de Zabelê), Fred Menezes (ex-vereador de Monteiro e diretor de Operações do jornal "A União"), Marcel Nunes (prefeito de Prata), Djaci Aleixo dos Santos, conhecido como Chuta (ex-vereador de Monteiro), Ivanildo Mendes de Sousa, conhecido como Galego da Granja (comerciante em Monteiro), Robério Vasconcelos (prefeito de Zabelê), Paulo Sérgio (suplente de vereador em Monteiro), Aristeu Chaves (ex-superintendente da Polícia Civil na região do Cariri e prefeito do município de Camalaú). Os nomes em outros dois envelopes não foram identificados. Lucivaldo, Paulo Sérgio e Adalcindo são líderes políticos da região do Cariri ligados ao ex-deputado e hoje secretário-executivo adjunto da Secretaria Estadual do Controle da Despesa Pública. - A informação dizia que era uma grande quantia em dinheiro, para a compra de votos. Aparentemente se confirma - disse o inspetor Nunes.

(do blog Os Amigos de Presidente Lula)

9 comentários:

Anônimo disse...

Tem mais dinheiro sem dono lá na Paraíba...

http://www.portalcorreio.com.br/capa/?p=noticias&id=20728

Justiça Eleitoral apreende R$ 325 mil e camisas amarelas em edifício na Epitácio

Cachorrão disse...

Ou locupletamonos todos, ou instaure-se a moralidade.


Eu só me Ph#d# nessa fita!

Jorge Freitas disse...

AS MENTIRAS DO LULLA
http://www.youtube.com/watch?v=80fKOTG1D-o

IMPERDÍVEL, promete e não cumpre, é só comferir este debate de ontem daqui 4 anos...


Olhe o de 4 anos atrás...

http://www.youtube.com/watch?v=80fKOTG1D-o

este sujeito não vale nada!

W. Velloso disse...

Justiça intima Lula a se defender em caso de cartilhas





Agencia Estado
O presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi intimado hoje pela Justiça a se defender das suspeitas de que cometeu irregularidades no cargo por conta da confecção de cartilhas sobre feitos do seu governo. Quase 1 milhão dessas cartilhas, cuja impressão custou R$ 11,7 milhões, foram entregues aos diretórios do PT nos Estados para serem distribuídas a eleitores.

A juíza Candice Lavocat Galvão Jobim, da 2ª Vara Federal de Brasília, determinou a citação de Lula e de outros integrantes do governo, como o ex-ministro Luiz Gushiken, para que eles apresentem suas defesas. Também foram citadas empresas supostamente envolvidas na operação, como a Duda Mendonça e Associados Propaganda, do ex-marqueteiro de Lula, Duda Mendonça.

Além dessa ação, Lula é investigado em um procedimento aberto recentemente no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para apurar se ele teve envolvimento com o episódio do dossiê contrário aos tucanos. Nesse episódio, dirigentes petistas e do comitê de campanha de Lula foram presos com R$ 1,75 milhões em notas de dólares e reais, dinheiro que supostamente seria usado para a compra do dossiê. Em tese, se Lula for reeleito e ficar comprovada a sua participação no caso, ele poderá ser punido até com a perda do mandato.

A produção das cartilhas favoráveis ao governo é investigada também no Tribunal de Contas da União (TCU). Há estimativas de que o material tenha custado quase R$ 12 milhões em decorrência de supostos serviços superfaturados ou não prestados em contratos de publicidade. Existem suspeitas até de que parte do material nem sequer chegou a ser impresso.

Investigações recentes do TCU apontaram a existência de uma confusão entre as ações governamental e partidária, com o objetivo de promover o PT. Na ocasião em que a apuração foi iniciada, o hoje chefe do Núcleo de Assuntos Estratégicos do governo, Luiz Gushiken, defendeu e contestou o fato de a investigação ter sido aberta às vésperas da eleição.

A informação de que o Palácio do Planalto havia confeccionado 2 milhões de folhetos sobre as realizações do governo Lula e entregado as cartilhas para o PT foi divulgada no início de setembro. O TCU já vinha investigando a impressão das cartilhas, porque recebera denúncias de que houvera superfaturamento nos serviços gráficos.

A auditoria do TCU chegou a levantar a suspeita de que não havia comprovantes de que os folhetos tinham sido confeccionados. Por isso, o tribunal cobrou de agências de publicidade envolvidas a devolução de dinheiro gasto sem comprovação e em superfaturamento. Ao ser questionada pelo TCU, a Secretaria de Comunicação (Secom) do governo informou que as cartilhas tinham sido entregues diretamente ao PT. Como o responsável pela Secom na época em que as cartilhas foram feitas era o ex-ministro Luiz Gushiken, a ação popular que pediu a citação de Lula também o incrimina.

CAMBADA DE LADRÕES! QUADRILHA!

José Justino de Souza Neto disse...

A tucanalha fica cheia de comichões quando é apanhada com o rabo sujo.

Cachorrão disse...

Calma Justino...
Tá nervoso???
Vai perder um cargo comissionado?
uma boquinha?
uma teta?
uma mamata do partido?
Tem até dezembro pra limpar as gavetas...
vai pescar... o perigo é virar corno... mas fique tranquilo vc sertá o penúltimo a saber o último é sempre o presidente Lulla

Ricardo disse...

chora chora meus chorões, que eu acompanho com violão...

Lulu Ladrão da Silva disse...

E se Lulla for corno.. ele nunca vai saber???

O corno é sempre o último e o Lulla nunca sabe, vai dar redundância cíclica...

Lulu Lallau da Silva disse...

A PF já gastou 10 milhões em passagens, diárias, agentes, viaturas, helicopteros, e o escambau e ainda não descobriu de onde veio o 1,7 milhão do PT.

Até o zé mané do lula sabe que o dinheiro veio do caixa 2, da roubalheira, do sangue e do suor dos brasileiros, do dinheiro fácil da corrupção, tráfico de drogas, quadrilhas do PCC, assalto do BC, ou seja fonte ILÍCITA...
Quantas mortes ocorreram por trás dessa grana?
Sequestro?
Como um partido quebrado e devendo arruma tanto dinheiro por dentro e por fora???
o que foi negociado?
o que estão vendendo?

Que sujeira é esta que não sai debaixo do tapete???

não era hora de queimar este tapete que tanta sujeira esconde???


Cadeia para políticos corruPTos!!