quarta-feira, outubro 04, 2006

Aliança com Garotinho desmonta discurso de Alckmin

(Maurício Thuswohl, na Agência Carta Maior)

RIO DE JANEIRO – O PSDB também sabe dar tiro no próprio pé. Ou, como disse o prefeito do Rio de Janeiro, Cesar Maia, um "tiro na cabeça". Assim está sendo considerada, até mesmo por aliados, a decisão do candidato tucano à Presidência da República, Geraldo Alckmin, de aceitar o apoio do ex-governador do Rio, Anthony Garotinho, e de sua mulher, a atual governadora Rosinha Matheus, nesse segundo turno. A aliança com o casal Garotinho - atingido por diversas denúncias de desvio de dinheiro público e outras práticas políticas condenáveis - joga por terra a tentativa do PSDB de construir um discurso "pela ética" na disputa presidencial. Outro efeito bombástico dessa aliança é sacramentar o racha no PMDB do Rio, já que o candidato do partido ao Governo, Sérgio Cabral Filho, fechou acordo com o PT e o presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

O tiro no pé de Alckmin começou a sangrar com mais intensidade na manhã dessa quarta-feira (4), depois que a adversária de Cabral Filho no segundo turno, Denise Frossard (PPS), declarou publicamente que, em caso de confirmação da aliança com Garotinho, prefere "retirar o apoio" ao tucano: "Eu rejeito o apoio do Geraldo Alckmin e não autorizo que ele utilize minha imagem em sua campanha. Depois que o vi sentado ao lado do casal Garotinho e aceitando o apoio deles, cheguei à conclusão de que Alckmin não gosta do Rio", disse a candidata em entrevista à rádio CBN. Frossard voltou a qualificar os governos de Garotinho e Rosinha como "desastrosos" do ponto de vista ético: "O [Mário] Covas deve estar se revirando no túmulo com essa aliança fechada pelo Alckmin".

Ao anunciar o rompimento com a candidatura do PSDB à Presidência, Denise Frossard confirmou uma tendência que já havia sido desenhada na véspera por Cesar Maia, que é o principal avalista de sua candidatura ao Governo do Rio. Principal liderança do PFL da Região Sudeste, Cesar não escondeu a perplexidade com o gesto político de Alckmin. Em entrevista publicada pelo jornal O Globo nessa quarta-feira, o prefeito do Rio diz que os eleitores podem ver em Alckmin "uma Dona Flor" e que nem ele nem Frossard "querem ser um dos dois maridos de Dona Flor" frente ao eleitorado fluminense.

"Do ponto de vista político, no Rio, a aliança com Garotinho é um tiro na cabeça. Parece que Alckmin não entendeu a eleição no Rio. É uma boa justificativa para o eleitor da Heloísa Helena, que não consegue digerir o Garotinho, votar no Lula", disse Cesar. O pefelista também garantiu que não vai subir em palanques com o tucano: "Agora vou ter cuidado. Se eu estiver junto com o Alckmin e o meu eleitor perceber o Garotinho dentro da campanha do Alckmin, esse beijo da morte pode pegar em mim. O Rio é o meu espaço político. Nesse momento, essa proximidade pode ser virótica. Preciso tomar muito cuidado. Tomar banho de sal, como dizia o [Leonel] Brizola".

O recado de Cesar à direção do PSDB foi claro. Sua conseqüência imediata foi a intervenção do presidente nacional tucano, Tasso Jereissati, na reunião da Executiva estadual do partido que caminhava para aprovar o apoio a Cabral Filho no segundo turno. Esse apoio seria possível devido à hostilidade com que Cesar passou a tratar o ex-pupilo Eduardo Paes e parte da direção estadual do PSDB depois que estes bancaram candidatura própria em vez de apoiar Frossard no primeiro turno. Esse afastamento aproximava os tucanos fluminenses de Cabral Filho, mas um telefonema de Tasso mudou os rumos da reunião como que por milagre: "A prioridade é eleger Geraldo Alckmin", disse Paes ao fim do encontro, resumindo a orientação passada por Tasso.

Alckmin sem palanque

O tiro no pé de Geraldo Alckmin pode sangrar ainda mais, pois, com a debandada de Cesar Maia e Denise Frossard de sua candidatura, é provável que ele fique sem um palanque forte no Rio durante toda a campanha do segundo turno. A situação deve divertir Lula, pois há duas semanas atrás todos os grandes jornais fluminenses apostavam que Alckmin poderia ter os dois palanques no Rio. Agora, com o acordo firmado entre Cabral Filho e Lula e a nova posição de Frossard, periga acontecer o contrário. O próprio Garotinho tenta minimizar esse problema: "Faremos palanques nossos para o Alckmin. Palanques do Garotinho e da Rosinha", disse.

Apesar das inúmeras pressões, Alckmin parece disposto a não voltar atrás na aliança com Garotinho. Resta saber o que isso significará em termos de votos. Ex-prefeito de Piraí e vice na chapa de Cabral Filho, Luiz Fernando Pezão, que também coordena a campanha do PMDB no interior, nos dá uma pista: "O Alckmin vai perder mais do que ganhar no interior do Estado. Todos os prefeitos que apóiam o Sérgio já estão fechados com o Lula. O candidato a governador é o Sérgio, não é o Garotinho", resume.

18 comentários:

Anônimo disse...

Porra
sai fora
LuLa vc ja roubou muito
nos naum aguentamos mais cara
tome vergonha na cara
Segundo TUNO VOTE CERTO VOTE GERALDO ALCKMIN 45

BAsta

Anônimo disse...

LULA SAI FORA
PRECISAMOS DE MAIS JUSTIÇA
FORA LULA
FORA LULA

Anônimo disse...

FORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAZFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULA FORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULA FORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULA FORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULAFORA LULA

Anônimo disse...

GENTE AGR É ALCKMIN 45
GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45GENTE AGR É ALCKMIN 45

Ludmila disse...

Me impressiona a capacidade de argumentação do nosso amigo anônimo. :-)

Clarice disse...

eu até pensei em apagar esses dois últimos, mas pensando bem, é bom para mostrar o grau de inteligência, articulação e esclarecimento dos eleitores do geraldo, né?

LULA13 disse...

Ridícula essa argumentação mesmo!

Segunto turno está ai, vamos fazer nossa parte como brasileiros que se importam com esse país! Vamos ajudar o Lula!

Vamos em frente! LULA PRESIDENTE!!!
LULA 13!

Um abraço e força Brasil!

http://www.agenciabrasil.gov.br/noticias/2006/09/21/materia.2006-09-21.5766621491

Anônimo disse...

Sou GERALDO sim, E DAÍ??
Acho q devemos respeitar as posições e opiniões políticas de cada um, porém deixar a desejar que o GRAU DE INTELIGÊNCIA, dos eleitores do Geraldo é baixo, vcs estão de BRINCADEIRA!! Os números mostram: Nos Estados, onde o nível de alfabetizados, e universitários é maior - Região Sul, Sudeste e Centro-Oeste - GERALDO ALCKIMIN não somente vence, como DESTRÓI o OPONENTE, e agora digam-me PORQUE? Por que nesta região, o povo tem uma linha de raciocínio um pouco superior a do Nordeste, que, INFELIZMENTE, contenta-se com MISÉRIA e ESMOLAS. Mas se a maioria preferir continuar com MENSALÕES E OUTRAS DESCOBERTAS DE ROUBOS QUE COM CERTEZA ESTÃO POR VIR, paciência... VIVA A DEMOCRACIA!!

Clarice disse...

suponho que por "deixar a desejar" você quis dizer "dar a entender"...

eu não afirmo que eleitores de um ou de outro são menos esclarecidos, vocês é que gostam de se vangloriar disso, como você mesmo acabou de fazer. eu só mostrei que isso não é regra para nada, eu voto no Lula e sei escrever direito, você vota no geraldo e não sabe nem distribuir vírgulas num texto, quanto mais expressar ARGUMENTOS COERENTES para defender suas idéias!

viva a democracia sim! é por respeitá-la muito e confiar nela que este espaço permanece aberto, até para gente como você, que despeja ofensas e nem assina.

Eugênio Sabino disse...

Interessante clarisse, quando vc não tem argumento vc apaga né?

Bom saber o quanto vc é democrática!

Eugenio Sabino disse...

O CORNO

Dois amigos estavam conversando na empresa onde trabalhavam:

João: — Oh, Cornélio. Você me permite dizer uma coisa, já que sou seu melhor amigo?
Cornélio: — Claro João. O que foi?
João: — Você sabe que a turma tá falando que sua mulher anda te traindo, não sabe?
Cornélio: — Sei sim João, o pessoal fala demais. Eu sei que isso é tudo mentira.
João: — Mas é que eu a vi saindo do motel com outro homem, e foi no seu carro.
Cornélio: — Né não, João. Deve ser uma mulher parecida em um carro parecido com o meu.
João: — Era sua mulher sim. Ela me viu, deu ré, abriu a janela do carro e pediu para eu não te contar.
Cornélio: — Oh João, pra dizer a verdade eu já sabia. Ela acabou me confessando, mas já nos entendemos. Ela prometeu que não vai mais fazer isso.
João: — Vocês conversaram ontem?
Cornélio: — Não, já tem mais de um mês.
João: — Mas eu a vi com outro ontem a noite.
Cornélio: — Essa coisa de traição é bobagem. Isso sempre aconteceu com vários homens. Muitos já foram traídos no passado, esse tipo de coisa sempre aconteceu.

João não agüentou e falou irritado:

— Cornélio, sua mulher já saiu com vários colegas aqui da empresa. E ela fica ligando para aqueles com quem ela ainda não saiu dando cantada neles. Ela já deu cantada até em mim. Já me mostraram até filme dela fazendo suruba com três de uma vez. Nunca houve um escândalo tão grande assim por aqui.
Cornélio: — Olha João. Isso tudo é mentira da turma. Esse negócio de filme é montagem de computador. Acho melhor encerrar esse assunto. Todo mundo tem defeito, minha mulher também tem um lado bom. Eu prefiro olhar o lado bom dela. E tenho medo também de largar ela e encontrar outra pior.

• Nunca houve escândalos políticos tão grandes como estes que andaram ocorrendo no Brasil.
• Nunca um partido político cometeu tanta corrupção.
• Tudo com confissões, testemunhas, documentos, etc. aparecendo diariamente durante meses e meses seguidos nos jornais, revistas, televisão, e etc. etc. etc…
• Até o presidente admite que houve corrupção. Nem ele nem ninguém nega isso.


E ainda tem um monte de gente que defende o PT e o Lula.
Tem um monte de petista agindo como o Cornélio da historinha.
Agora vai a pergunta:

Se você estivesse no lugar do Cornélio você ficaria fazendo papel de bobo defendendo a safada que te traiu e envergonhou?
Ou largaria a vagabunda?

Então pára de defender esse partido que te usou, te traiu e te envergonhou.

fora lula disse...

Eu já conheço muitos companheiros decepcionados que já deixaram de pagar a mensalidade do PT. Por que será? ...

*aproveite e visite o site.

Clarice disse...

eugênio em primeiro lugar, eu não apaguei nada, você pirou? eu pensei em apagar exatamente os dois comentários que não trazem argumento nenhum, apenas despejam um grito de guerra usando copy&paste, uma forma agressiva, mal-educada e absolutamente inconsistente de se expressar. eu sempre disse que esse lugar está aberto ao debate e à argumentação, mas não é a casa da mãe joana. ofensas gratuitas e ridicularização do presidente eu apago mesmo. democracia não é anarquia.

em segundo lugar, você está partindo de uma premissa falsa que faz toda a diferença: "esse partido" é o traído, não o traidor. "a vagabunda" são algum elementos que se infiltraram no partido que eu quero mais é que sumam mesmo, sejam não só expulsos do partido como punidos pela justiça comum. "esse partido", o traído, sou eu, são milhares de pessoas decentes, honestas e defensoras de um projeto político para o Brasil bem diferente de tudo o que a tucanalha e os pefelentos já fizeram.

anônimo, eu tb conheço petistas decepcionados que estão deixando o partido, como conheço pseudo-petistas que usaram o partido para benefício próprio, como conheço muitos, mas muitos mesmo, petistas honestos, trabalhadores e sérios. gente boa e gente ruim, gente covarde e gente lutadora, infelizmente tem em todo lugar. isso não vai me fazer desistir de lutar por um país mais justo.

TEM UM DEFUNTO NA SALA! disse...

"a vagabunda" são algum elementos que se infiltraram no partido que eu quero mais é que sumam mesmo, sejam não só expulsos do partido como punidos pela justiça comum.

Clarice, estamos falando de "TODA" cúpula petista, "toda" cúpula anterior e a atual estavam e estão envolvidos, "só faltou o LULLA" esquisito não?
é como a estorinha do cornélio...E olha que estamos falando de gente com ALTOS CARGOS e ALTOS SALÁRIOS, ou seja NÃO PRECISAVAM ROUBAR... MAS ROUBAM PRA COMPRAR MANSÕES E CARRÕES...

LADRÕES IGUAIZINHOS AOS OUTROS...

E REPITO ESTAMOS FALANDO DE "TODA CÚPULA" ATUAL E ANTERIOR DO PARTIDO...

FORA OS MEMBROS QUE VIERAM "ASSESSORAR O PRESIDENTE BOBÃO"...

ESTES TRAMA NA SALA AO LADO... E O BOBÃO NADA VÊ NADA SABE...

O QUE SERÁ QUE A ABIN E A PF LEVAM DE INFORMES AO GABINETE DE SEGURANÇA NACIONAL????

SÓ A LISTA DOS PETISTAS QUE VÃO SER PRESOS TODA SEMANA???

ME POUPE DESTA VERGONHA!!!

FORA CORJA DE LADRÕES!!

Clarice disse...

TODA a cúpula?
você já tem as provas?
opa, que bom, então mande-as para a polícia que vai agilizar bastante os processos e punir mais rapidamente os culpados. quem sabe aí a mídia se lembre de cobrar um pouquinho que se investigue também a participação do serra e do negri no esquema das ambulâncias? ou por que o alckmin barrou quase setenta cpis em são paulo?

Ricardo disse...

Espero que os nossos educados visitantes aprendam alguma coisa sobre democracia, ouvindo o que diz o presidente Lula e - modestamente - lendo o que a gente publica neste blog. Eugênio e anônimos, o que difundimos aqui é exatamente uma interpretação da realidade que colide, que contraria, a voz corrente da grande mídia, que usa e abusa de generalizações e toma partido (sempre o lado da oposição) para desqualificar um governo que enfrenta interesses seculares e ousa implantar políticas transformadoras. Pense nisso, leia os artigos, "senta, analisa" e volte sempre para movimentar o pedaço.
KK e Ludi: a educação e a paciência de vcs serão decisivas no segundo turno! Viram o Datafolha de hoje?

A.F.T. disse...

Fácil, fácil
Para pagar R$ 1,7 milhão pelo suposto dossiê contra José Serra, bastava o PT vender em seu site 150 mil broches, 4.800 brincos, 10 mil perfumes, 20 mil camisetas e sete mil bandeirões. Mas preferiu recorrer a dinheiro sujo.

Ricardo disse...

Esse pessoal é bem informado, não??
A pergunta que faço ao anônimo a.f.t é a seguinte:
Os padres pedófilos comprometem o cristianismo?
Abraço!