quarta-feira, março 28, 2007

PIB DE LULA É 45% MAIOR QUE DE FHC

Quando o IBGE fez a primeira divulgação do PIB de 2006, a mídia conservadora celebrou a fraqueza do número: 2,9%.

Era o “pibinho” do Lula.

A Folha de S. Paulo chegou ao opróbrio de comparar o pibinho de Lula ao de FHC – de fato, quase uma ofensa pessoal ao presidente Lula.

Agora, o IBGE reviu os cálculos (*), inclusive do período FHC, e chegou à conclusão de que o crescimento do PIB em 2006 não foi de 2,9% mas de 3,7%.

Não é uma “fragata inglesa”, mas dá uma goleada no período de ouro do neo-liberalismo brasileiro, o chamado FHnistão.

O Pibinho do Lula é 45% maior do que o Pibão do FHnistão.

Acompanhe esses números:

Média do crescimento do PIB de 1995-1998 (1º mandato de FHC): + 2,44%

Média do crescimento do PIB de 1999-2002 (2º mandato de FHC): +2,27%

Média do crescimento do PIB de 1995-2002 (os dois mandatos de FHC): + 2,29%

Média do crescimento do PIB de 2003-2006 (quatro primeiros anos do governo Lula): + 3,34%

(CÁLCULOS: PROFESSOR ALCIDES LEITE, DA TREVISAN ESCOLA DE NEGÓCIOS)

(*) Nem a Miriam Leitão, a Controladora Geral da República, viu defeito na revisão do IBGE...

Do Conversa Afiada, de Paulo Henrique Amorim

3 comentários:

Patrício no Pilar disse...

Tomei um calote de Ciro Gomes em 2000 e até hoje não vi a cor da grana...fiz então um blog para anunciar com humor e contundência não só o calote como muitas facetas interessantes desse político cuja maior característica é não ter coerência alguma. O resto vocês julguem... e se gostarem espalhem o endereço por aí. Gratíssimo pela atenção...

Patrício no Pilar
http://cinevertigem.blig.ig.com.br

Anônimo disse...

A manipulação do IBGE é uma vergonha, adulteram o PIB, inventam um crescimento que não há e o povo acredita.

Recalculem pela nova fórmula os PIBs anteriores, e o crescimento continuará o mesmo, ou seja 2,9%.

É uma vergonha !!!

Ricardo disse...

Até a Míriam Leitão elogiou a midança da metodologia de cálculo do PIB, logo não há manipulação nenhuma. O choro das viúvas de FHC, no entanto, é livre