quarta-feira, setembro 13, 2006

CLASSES B E C FAZEM CONSUMO DE COMPUTADOR CRESCER NO BRASIL

A editora do site IDG Now (especializado em informática), Daniela Braum, disse em entrevista a Paulo Henrique Amorim nesta quarta-feira, dia 13, que os principais responsáveis pelo crescimento da venda de computadores no Brasil são as classes B e C. Daniela Braum disse que 35% dos computadores vendidos em 2005 custavam entre R$ 1 mil e R$ 1,5 mil. Segundo ela a venda de computadores nesta faixa de preço aumentou para 39% dos vendidos neste primeiro semestre (aguarde o áudio da entrevista).

Veja os principais pontos da entrevista de Daniela Braum:

835 mil brasileiros compraram o primeiro computador em 2006. Segundo Daniela, isso significa um crescimento na venda de computadores. No geral, a venda de computadores no primeiro semestre deste ano já cresceu 43% em relação ao mesmo período de 2005.

Daniela disse que a expectativa é que dois milhões de brasileiros comprem o primeiro computador este ano. Essa soma representa 26% dos mais de sete milhões de computadores que vão ser comercializados no país em 2006.

82 mil brasileiros compraram o primeiro notebook nos primeiros seis meses deste ano. A competitividade no mercado de notebook aumentou.

O mercado paralelo de notebook diminuiu. Segundo Daniela, a parcela de notebooks comercializados no Brasil é de 48%. O número parece alto, mas é o mais baixo dos últimos oito anos, quando começou a medição. Em 1999 o mercado dos chamados “computadores clones” representavam 68% das vendas do setor.

Os notebooks que custam até R$ 3 mil têm isenção de IPI e Confins. Isso significa uma redução de mais de 9% no valor de venda.

O acesso das classes B e C ao computador aumentou muito por causa da redução dos preços dos PC’s. Daniela citou a chamada “MP do bem” que reduziu os impostos dos computadores no Brasil. Ela lembrou também a facilidade do crédito com um dos fatores para aumentar a venda de computadores entre as pessoas com menor renda.

Conversa Afiada. 13/09/2006 14:51h

2 comentários:

jose carlos lima disse...

No momento o TCU faz campanha política contra Lula.Isto ocorre pelo simples fato de que os tais Tribunais de Contas, seja do Estado, do Município ou da União, não passam de cabides de empregos. Quando ali deveriam trabalhar técnicos, os políticos é que ocupam suas vagas, como é o caso do ministro Ubiratan, ex-deputado federal pelo PSDB do Ceará. Que se aprove uma emenda constitucioinal no sentido de que seja aberto concurso público para a ocupação de tais cargos. Esta é a única forma de se moralizar os Tribunais de Contas em todas as instâncias, do município à União.Assim se evitaria a partidarização dos tribunais de contas que, por serem órgão de fiscalização, não poderiam fazer políticagem, como ocorre no momento, quando o ministro Ubiratan Aguiar, ex-deputado federal pelo PSDB do Ceará dá uma mãozinha para o seu amigo tucano, o Geraldo.Os cargos que envolvem fiscalização deveriam ser ocupados por técnicos, ou seja, através de concurso público e não por políticos do porte do conselheiro Ubiratan Aguiar.

Anônimo disse...

Qualé cumpanheiro?? cargo no governo tem que ser exercido por alguém de "confiança" do Partido!!!Como vamos acabar com o desemprego dentro do PT?
vc acha que 20.000 cargos bastam? não dá nem pros parentes... é muita gente!!! muito filho, sobrinho...