sábado, novembro 25, 2006

Folha de S.Paulo incorrigível

Das manchetes

Da boa entrevista de Fábio Zanini com o presidente do PT Marco Aurélio Garcia na “Folha” de 25/11.

FOLHA - Por que o sr. briga tanto com a imprensa?

GARCIA - A imprensa é que tem brigado comigo. Sempre que eu dou uma opinião que não corresponde à pergunta, que muitas vezes é uma tese, as pessoas caracterizam minha opinião como "visivelmente irritado". (...)

FOLHA - Uma reforma da Previdência também?

GARCIA - Evidentemente. Se você examinar os débitos [das empresas] com a Previdência, é mais do que o déficit. Por que vamos mudar a idade mínima se tem gente fraudando a Previdência, sonegando? Se essas coisas não derem certo, vamos estudar outras medidas. Não vamos mexer nas regras enquanto não fizermos isso.

FOLHA - Esgotadas as medidas administrativas, pode haver mexida nas regras?

GARCIA - Se eu lhe disser isso, amanhã a Folha (...)

FOLHA - O sr. acabou de dizer.

GARCIA - (...) vai dizer: presidente do PT admite reforma. Não admito. (..)

FOLHA - Durante a campanha se falou que quatro anos não eram suficientes para o PT mudar o país. Quanto é preciso?

GARCIA - Uma mudança não se faz em oito anos, ou quatro. País com um passivo social como o nosso precisa de uma geração para encontrar a embocadura do ciclo prolongado de crescimento.

FOLHA - O sr. está repetindo o [ex-ministro das Comunicações] Sergio Motta, que queria o PSDB 20 anos no poder?

GARCIA - Não estou dizendo que o PT deva ficar [no poder]. Estou dizendo que precisamos do movimento de uma geração para transformar o país, e gostaria que o PT tivesse papel protagônico. Quem decide é a sociedade.

Manchete do jornal: “Garcia defende PT no poder por uma geração”.

Do cada dia melhor Blog do Nassif

Um comentário:

Sofia disse...

É impressionante a cara de pau, parece até piada! O jornalista podia ter feito o serviço completo e cortado da entrevista a parte que o entrevistado prevê a pataquada...